Ana Maria, sinônimo de garra e determinação!

Quando ela nasceu sua “mainha” deu-lhe o nome de Ana Maria, um nome que tem como características principais ser lutadora, racional e objetiva. O nome Ana Maria revela uma personalidade firme, realista, inquieta, uma pessoa que valoriza a segurança material e aposta mais na razão do que na paixão. Além disso, esse nome revela que Ana Maria é incansável e persistente. Adora ser útil e encara os compromissos com seriedade e lealdade.

Depois de ler as características percebi que o nome corresponde exatamente a Ana Maria da Silva Sousa, brasileira, nordestina que aprendeu logo cedo que para conseguir o que queria teria que trabalhar muito porque dinheiro, efetivamente, não cai do céu. 

Ao conhecer Ana Maria percebe-se que é uma mulher empoderada e firme, que tem seus objetivos muito bem definidos e traçados. “Quando coloco uma ideia na cabeça faço tudo para conseguir realizar e enquanto não consigo não desisto”, conta a empresária. Sim, Ana Maria nunca desiste de um sonho e por isso mesmo ela dorme tarde e acorda muito cedo. “É como dizem por aí, eu durmo pra sonhar e acordo pra fazer o meu sonho virar realidade! O NÃO eu já tenho e por isso eu corro mesmo é atrás do SIM!”, enfatiza.

Ana Maria Sousa nasceu numa fazenda na Bahia. Aos 12 anos foi morar em São Paulo e “cuidava de menino” como babá numa casa de família. Aos 15 anos casou, aos 18 já era mãe de dois filhos e sofreu “agressão psicológica” do marido. Foi através do trabalho que Ana conseguiu atravessar um dos momentos mais difíceis da vida dela, quando se viu, temporariamente, sem os dois filhos. Em Goiânia, a atual empresária trabalhou como balconista num mercado e lá aprendeu a superar suas próprias limitações sempre usando a sua criatividade e o seu senso de observação apurado. Com a dona do mercado, Ana aprendeu como agir no mundo empresarial, com os funcionários e com os clientes. “Ela foi um grande exemplo pra mim, inspiro-me sempre nela e sou grata pelas oportunidades e ensinamentos que tive com ela,” revela.

Ana sabia que aquele trabalho era temporário e seguia em busca de seus objetivos. Vivia o presente mas mantinha a visão no futuro e usando o seu  lado intuitivo, a jovem investiu o pouco dinheiro que tinha num aparelho de telemóvel, nos cds de telemensagens apostando na “moda do momento” que eram as telemensagens. Nesta altura, com a simplicidade das pequenas coisas e dos pequenos negócios, Ana começou a despertar o seu lado empreendedor, que mais tarde veio a marcar todo o seu percurso de vida.  

Aos 25 anos, Ana Maria foi morar em Portugal, onde está até hoje. Em terras lusitanas, foi vendedora, garçonete, promotora de vendas, fez pesquisas de porta em porta enfrentando frio e chuva. Além disso, quando ia ao Brasil levava produtos para vender e, na volta, trazia roupas e lingerie para revender em Portugal. Dessa forma Ana iniciou sua carreira de empresária e abriu sua primeira loja de lingerie.

O próximo passo foi abrir uma loja de jóias que não correu bem, mas que trouxe à empresária muitos ensinamentos. “Levei um tombo, fiquei abatida, mas desistir é para os fracos e se tem uma coisa que eu não sou é fraca! Hoje quando olho para trás, vejo que faria tudo de novo porque esse tombo me ensinou muito, me fortaleceu, me deu base para não cometer erros básicos e a partir dali eu me levantei ainda mais forte ”, relembra a empresária. 

Aliás, desistir é uma palavra que não consta no dicionário da luso-brasileira. Ela pode até mudar de ideia, de rota, mas desistir jamais e essa determinação faz parecer que o dia da empresária tenha muito mais que 24h. Desde que decidiu vir morar em Portugal a brasileira não pára. “Confesso que vim para Portugal com o objetivo de juntar dinheiro para comprar uma grande casa no Brasil e voltar para lá, mas, depois de conhecer e morar nessa terra, percebi que nunca mais iria morar no Brasil. Portugal é um país apaixonante, a tranquilidade desse lugar é algo que encanta, principalmente aos brasileiros, que vivem com medo dos assaltos e da violência! Hoje, vou ao Brasil com os meus filhos só para visitar a família e passear, mas meu porto seguro é mesmo aqui, em Portugal. Me rendi completamente por esse país pequenino em tamanho mas grande em tradições, sabores e beleza de norte a sul do país. É aqui que eu consegui me tornar quem sou“, confessa.

E para se tornar quem Ana se tornou, a empresária tem uma rotina exigente. Dorme tarde e acorda muito cedo. A saúde é uma constante preocupação, e por isso ao se levantar segue de imediato para o ginásio, onde pelo caminho acompanha o filho ao colégio, conferindo os trabalhos escolares. De regresso, organiza a casa e verifica os apontamentos que a assessora agendou para o dia. Segue para o salão porque para Ana Maria estar bem apresentável é fundamental! Vai às compras para abastecer a a sua loja de cosméticos e seus outros empreendimentos; almoça com empresários, reúne-se com membros e convidados do seu Networking Ana Maria, entrevista empresários de sucesso para o seu canal no Youtube Ana Maria Mais Empresária, sugere pautas para sua revista Networking Business Magazine, viaja para captar clientes para seus negócios reunindo-se em jantares,  e nos finais de semana aproveita para conhecer sítios que vão virar pauta para matérias da sua Magazine. “Eu não tenho tempo a perder e com a pandemia eu percebi que a vida é mesmo muito curta. De repente ficamos sem poder sair de casa, sem poder compartilhar momentos com as pessoas que gostamos. De repente estamos perdendo as pessoas que amamos, e se antes eu já tinha pressa de viver e me tornar a pessoa que eu sou hoje, agora com o Covid-19 eu vejo que viver e fazer o que gostamos é fundamental e urgente! Eu trabalho muito, mas trabalhar é um grande prazer, uma enorme satisfação para mim, então, não vejo como trabalho. Sou feliz e sei que tenho colaborado para muitas pessoas alcançarem a felicidade também ! “, revela Ana Maria.

Com seu senso e sua perspicácia apurados, a menina do Brasil se transformou na mulher bem sucedida de Portugal que tudo vê e nunca está a dormir. Atenta aos pormenores, ela vai trazendo para perto de si homens e mulheres de talentos. “Eu sempre me juntei a pessoas que agregam valor e informação, que podem me ensinar e sou muito grata a todos. Não tenho faculdade, mas tenho a Universidade da vida e nessa eu sou mesmo mestre! Com meu jeito simples e até com alguns erros, porque sou humana e cometo erros também, vejo quem são as pessoas que eu posso ter perto de mim, quem são os invejosos, quem são os que torcem por mim e quem “finge” que torce por mim, mas tudo isso faz parte da vida. E eu tenho muito mais a dar do que a perder”, confessa Ana.

Com uma generosidade peculiar e a certeza de que juntos somos mais fortes, Ana Maria criou o Networking Ana Maria. Uma rede de empresários, via online, que acontece semanalmente e que une profissionais de várias áreas de Portugal e do Brasil e uma vez por mês é realizado um jantar presencial a fim de estreitar os contactos entre os empresários e os convidados presentes. “Eu nunca acreditei nessa história de concorrência e sim na união dos esforços. Certa vez tive um centro de estética e ao meu lado abriu um outro centro. Imediatamente fui lá dar boas vindas à proprietária e contei quais os serviços que eu oferecia no meu centro de estética e ela me contou com o que ia trabalhar. Ali passamos a unir forças. O que o meu Centro não fazia eu indicava o dela e vice-versa. Ao invés de nos tornarmos concorrentes, nos tornamos parceiras. O sol nasce para todos, porque querer tudo só para mim ?”, pergunta a empresária de sucesso. 

Com esse pensamento aberto, Ana Maria tem conseguido deixar a marca dela por onde passa e a cada dia vai concretizando seus sonhos. O mais recente é o lançamento dessa revista, a Networking Business Magazine, uma revista voltada para o mundo empresarial que une Portugal e Brasil, e que tem como objetivo trazer informações relevantes ao leitor de ambos os países. “A minha experiência como  representante comercial das revistas Mulher Africana, Business Portugal e Portugal em Destaque me rendeu a possibilidade de hoje abrir a minha própria revista. Eu aprendi muito com o dono da revista Business Portugal, que sempre me apoiou e sou muito grata à ele por tudo, mas, agora acho que chegou o momento de ter a minha própria revista e com a ajuda e orientação de uma equipa profissional estou colocando-a em circulação”, revela a diretora da Revista.

A Networking Business Magazine estará disponível em edições bimestrais distribuídas gratuitamente em pontos estratégicos, e divulgadas através de um jornal de grande circulação no Norte de Portugal. Para o público brasileiro estará disponível no formato digital, e trará em seu conteúdo editorial matérias relevantes ao mundo empresarial ligando os dois países co-irmãos. “Eu comecei do zero, tive muitas dificuldades por falta de apoio e informações. Com o meu grupo de Networking e a minha Revista  poderei ajudar muitas pessoas, muitos profissionais, muitos empresários a ter sucesso e isso me deixa muito feliz, porque juntos somos mais fortes“, explica a empresária luso-brasileira, que usa  este slogan na vida e nos negócios.

Mas como a vida não é só trabalho e mesmo achando que ela não trabalha nenhum dia, Ana Maria conta que adora sair, se divertir, comer bem e viajar. Gosta de ler mas não é de assistir televisão, contudo, ela lembra que acompanhava a novela Roque Santeiro exibida pela Tv Globo (Brasil) e pela SIC (Portugal) por causa da Viúva Porcina personagem interpretada pela atriz Regina Duarte e que ela conta que se identifica muito: “A Viúva Porcina era uma mulher arretada, forte e ao mesmo tempo doce e carinhosa capaz de ter os gestos mais doidos ou os mais amorosos. Ao ver a personagem, até acho que tenho um olhar e um sorriso tão “maroto” quanto o da Viúva Porcina”, comenta brincando a nordestina Ana Maria.

E como toda mulher nordestina, a empresária não “dormiu no ponto” e teve quatro filhos! Sim, Ana Maria sonhava com uma “menininha”, mas se tornou mãe de quatro belos “rapazotes” e do gato Squiqui ! Ela diz que os filhos são o grande tesouro da vida dela! “Meus dois filhos mais velhos já caminham com as próprias pernas, já têm a vida deles, o filho do meio mora comigo e o mais novo vive, temporariamente, com o pai.  Eles são a minha maior riqueza e como toda mãe nordestina eu brigo, exijo educação, respeito, obediência, não sou de muito chamego, mas ai daquele que se atrever a tocar num filho meu! Eu viro onça brava, viro mesmo uma leoa!”, afirma a mãe protetora.

E por falar em mãe, é importante dizer que a empresária brasileira radicada em Portugal há 20 anos é devota de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil mas também tem muita fé em Nossa Senhora de Fátima. “Eu sou uma pessoa muito abençoada e a minha Virgem Maria nunca me faltou. Nos momentos tristes ou difíceis, sempre senti a presença da Nossa Senhora Aparecida junto a mim e é a Virgem Santíssima e a Nossa Sra. de Fátima que eu rogo para que os homens encontrem a cura definitiva desse vírus que vem causando tanto dor e sofrimento em tantos lares”, comenta Ana Maria.

É com perseverança, fé, determinação, alegria e disposição que Ana Maria da Silva Sousa, empresária, empreendedora, diretora, mãe e mulher vai vivendo a vida e tornando reais os seu sonhos porque como disse o poeta português Fernando Pessoa: “Eu sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura!”, e Ana Maria, com certeza, vê longe!

 

1 comentário a “Ana Maria”

  1. História de mulher brasileira arretada. Adorei o que você disse, sol nasce para todos, é bíblico, então é verdade. Sobreviveremos melhor se soubermos identificar nossas falhas e potenciais e você sabe fazer isso.
    Parabéns pela revista Ana Maria Networking

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *